Janeiro quente e seco em grande parte do Brasil

Durante a maior parte do mês de janeiro predominou um padrão de bloqueio atmosférico que impediu o avanço de frentes frias sobre a Região Sul do Brasil. Com isso, a maior parte do Sudeste e Centro-Oeste ficaram sob a influência de uma massa de ar mais seco e quente favorecida pela presença de um anticiclone em níveis médios (circulação anti-horária). Este padrão de escoamento favoreceu movimentos subsidentes (de cima para baixo) que contribuíram para a elevação das temperaturas e dificultaram ao formação de nebulosidade significativa. Embora tenham ocorridos alguns episódios de chuva intensa e temporais com transtornos, durante a maior parte do mês predominou o tempo seco no Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. Como janeiro é o mês em que, na média, as chuvas são mais intensas sobre estas Regiões, nota-se uma ampla área com anomalias negativas de precipitação (chuva abaixo da média representada pelos tons de vermelho) desde a Região Sul, parte do Centro-Oeste e Sudeste. Na Região Sul, nota-se uma área com anomalias positivas (chuva acima da média representada pelos tons de azul) próxima a fronteira com o Uruguai associada, principalmente, as intensas precipitações que atingiram a região na primeira quinzena do mês. A falta de chuvas e o predomínio do tempo mais seco contribuíram para a elevação das temperaturas no Sudeste e o resultado foram vários dias de muito calor e com máximas elevadas. Esta característica fica evidenciada no mapa de anomalias de temperaturas máximas, em que nota-se que em alguns pontos as máximas chegaram a ficar até 5°C acima da média (tons de vermelho).


 


Atualizado em 02/02/2019 07:31

Proximo

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco