Chuva no Vale do Paraíba já superou a média de Agosto

Depois de um mês de julho com tempo predominantemente seco na maior parte do Estado de São Paulo, os primeiros dias de agosto foram de tempo instável e precipitações constantes sobre o Vale do Paraíba. Com isso, grande parte dos municípios da Região já registraram uma chuva acumulada superior a média do mês de agosto entre os anos de 1981 a 2010. Na Figura abaixo está disposta a média climatológica (1981-2010) do mês de agosto para o Estado de São Paulo com valores próximos a 40 mm na região da Serra da Mantiqueira e Vale do Paraíba e precipitação média de 80 mm no Litoral Norte.

 



Climatologia de precipitação (média de 30 anos entre 1981 e 2010) para o mês de agosto no Estado de São Paulo.
 
Na Tabela abaixo estão dispostos os volumes de precipitação registrados nas estações automáticas do INMET até às 09:00 do dia 07/08/2018.

Município Precipitação Acumulada
Cachoeira Paulista 72,8 mm
Campos do Jordão 90,8 mm
São Luís do Paraitinga 71,2 mm
São Sebastião 38 mm
Taubaté 48,4 mm

 

 


Esta mudança significativa nas condições de tempo pode ser explicada por uma sucessiva entrada de sistemas meteorológicos, que atuaram desde o primiero dia do mês. Nos dias 01 e 02 de agosto houve a entrada de uma frente fria, que já favoreceu uma primeira mudança de tempo, com aumento da umidade e queda das temperaturas (típico para a época do ano). Posteriormente, a partir do dia 03 ocorreram a passagem de cavados (circulação dos ventos no sentido horário na camada média da atmosfera, 5000 metros de altura) de onda mais curta, que não estavam associados a frente fria em superfície, mas que favoreceram o reforço das áreas de instabilidade, como foi observado nos últimos dias, quando tivemos chuvas consecutivas em parte da região Sudeste do Brasil. Além disso, a entrada destes cavados, que periodicamente influenciam as condições de tempo em parte do centro-sul do Brasil esta época do ano, favoreceram também a entrada de ar relativamente mais frio nas camadas médias e altas da atmosfera. este padrão aliado a condição de muitas nuvens e chuva, propiciou a queda das temperaturas, principalmente das máximas. Os valores registrados das temperaturas máximas não ultrapassaram os 20°C entre o leste de SP e o sul do RJ nos últimos dois dias.

A figura abaixo mostra a carta sinótica de 500 hPa e de superfície, onde se nota a atuação do cavado na camada média e sem a atuação de frente fria em superfície:

 



 

 



 

 Para uma previsão detalhada para a sua cidade acesse: http://tempo.cptec.inpe.br/

Atualizado em 07/08/2018 17:43

Proximo

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco